Projeto Mamíferos Aquáticos da Amazônia

O Projeto Mamíferos Aquáticos da Amazônia (PMAA) recebe o patrocínio da Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental. Em sua 3ª edição, foi renovado em 2018 e terá duração de 24 meses (abril/2018 a Maio/2020).

Executado pela Associação Amigos do Peixe-Boi – AMPA, o Projeto tem como principal objetivo proteger as espécies de mamíferos aquáticos e os ecossistemas aquáticos da Amazônia por meio dos estudos de ecologia, história natural e comportamento desses animais, e a integração com as comunidades ribeirinhas e uso sustentável dos recursos naturais (habitats).

Os mamíferos aquáticos de ambientes fluviais encontram-se entre as espécies que sofrem maior impacto devido a sua constante proximidade e sobreposição da dependência dos recursos com o homem. Na Amazônia a relação desses carismáticos animais com os ribeirinhos sempre foi antagônica e em prejuízo aos animais. Dessa forma, caracterizar o uso passado e atual que as comunidades ribeirinhas fazem desses animais bem como suas interações é de extrema importância. Somente de posse desse conhecimento será possível buscar soluções que minimizem as interações negativas.

O Projeto, através da AMPA, tem como principal parceiro o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA/MCTIC), localizado no município de Manaus, região norte do Brasil. As atuações do PMAA permeiam por boa parte do território do estado do Amazonas, tendo as Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Piagaçú-Purus como locais de constante atividade (monitoramento de botos-vermelhos e peixes-bois, respectivamente).

Por meio dos recursos do Projeto, a AMPA executa diversas ações de pesquisa e educação ambiental, as quais buscam entender e minimizar os possíveis impactos antrópicos sobre as espécies, visando garantir a conservação destas.

O projeto conta com pesquisadores e colaboradores que aprofundam estudos sobre a ecologia, história natural e comportamento dos mamíferos aquáticos da Amazônia. As pesquisas possibilitam gerar informações para alertar as autoridades e comunidade internacional sobre a matança do boto-vermelho para uso como isca na pesca da piracatinga e a caça ilegal do peixe-boi para comercialização, por exemplo.

Além disto, o apoio da Petrobras tem sido fundamental para que as ações de Educação Ambiental sejam desenvolvidas com maior amplitude, permitindo que as informações sobre as espécies e seus habitats cheguem as escolas, universidades e comunidades ribeirinhas da capital e dos interiores.

Histórico da Relação AMPA e Petrobras
A parceria da AMPA com a Petrobras teve início com a campanha nacional para dar nomes aos filhotes de peixe-bois nascidos em cativeiro, no Parque Aquático Robin Best/INPA.

A partir deste primeiro contato, a parceria se fortaleceu e em 2008 a Petrobras patrocinou a 1ª versão do Projeto Mamíferos Aquáticos da Amazônia, com fim em 2010 e posteriormente a 2ª versão do Projeto, em 2013 (até 2015).