Pintura de natureza nos tanques do peixe-boi é inaugurada no aniversário do Inpa

A inauguração aconteceu nesta sexta-feira (27) como parte das atividades de comemoração do aniversário de 64 anos de implantação do Inpa   Siga @ampa_peixeboi Manaus – Com intuito de integrar os tanques de filtragem e escoamento de água do Centro […]

A inauguração aconteceu nesta sexta-feira (27) como parte das atividades de comemoração do aniversário de 64 anos de implantação do Inpa

 

Siga @ampa_peixeboi

Manaus – Com intuito de integrar os tanques de filtragem e escoamento de água do Centro de Mamíferos Aquáticos do Laboratório de Mamíferos Aquáticos, a artista Carolina Bertsch Jawi, que também é bióloga, fez uma verdadeira obra prima, compondo a fauna e flora do Bosque da Ciência, zona Centro-sul de Manaus.

A inauguração da artes aconteceu nesta sexta-feira (27) como parte das atividades de comemoração do aniversário de 64 anos de implantação do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC). A pintura foi patrocinada pela empresa Roswand Engenharia.

A iniciativa de transformar os tanques em arte foi do Projeto Museu na Floresta, financiado pela Agência Japonesa de Cooperação Internacional (JICA), e que tem parceria com a Associação dos Amigos do Peixe-boi (Ampa), como explica a coordenadora do projeto, Vera da Silva.

“No início era apenas para fazer os tanques desaparecerem, mas acabamos criando uma nova atração para o público que visita os peixes-bois. Por ser uma área restrita, nem sempre estará disponível para o público, mas com certeza vamos abrir alguns dias para visitação, sempre que possível”, comenta a pesquisadora, que também coordena do Projeto Mamíferos Aquáticos da Amazônia, financiado pela Petrobras.

Para artista e bióloga, Carolina Bertsch foi muito natural o processo de criação da arte nos tanques. “O Inpa é um lugar muito especial para mim, eu amo esse lugar, e foi uma honra pintar aqui. De início foi um desafio pintar os tanques, mas depois todos me ajudaram falando ideias e me mostrando as espécies daqui do Bosque”, disse.

No mural é possível ver espécies endêmicas da floresta amazônica, como o sauim-de-coleira, além de preguiças, macacos, cutias, e parte da flora que compõem a paisagem do Bosque da Ciência do Inpa.

A Ampa também realizou educação ambiental com os visitantes, explicando sobre a biologia dos peixes-bois, como funciona o resgate, reabilitação e o programa de reintrodução desses animais.

Texto e foto: Fernanda Farias/Ampa